quarta-feira, janeiro 17, 2007

Renegociação da dívida





Yeda anuncia de Brasília que quer renegociar a dívida do estado com a união e tenta agenda com o presidente em data em que ele estará em Davos, na Suiça. A agenda não é inédita, desde Simon está na pauta do estado e se trata de uma das questões chave para a solução dos problemas de nossos problemas financeiros.

Ocorre que a Lei de Responsabilidade Fiscal impede a União de perdoar ou de renegociar a dívida propriamente dita, vários estados estão endividados, embora nenhum em situação tão delicada. A surpresa é a intempestividade da proposta noticiada hoje.

Uma renegociação da dívida do estado deveria passar por uma ampla articulação no estado, buscando aliados de todos os matizes através de uma pauta unificada. Esta articulação deveria ser coordenada pela própria governadora e pela Assembléia Legislativa compondo com a oposição no estado que é situação no governo federal. desta forma Yeda teria maior legitimidade e poder de barganha para trazer uma vitória importante pros gaúchos.

Mas o que vemos é diverso, ao que parece a assessoria da governadora decidiu de última hora a pauta, está em Brasília só e tenta agenda com o presidente em dia em que ele sequer está no país, coisa de amador. O resultado todos já sabem qual é e Yeda vai abrir a caixa de ferramentas contra o governo federal. Não vai colar.

Novamente vemos o novo jeito de goverar se manifestar de forma irresponsável e amador, sem articulação, desesperada. O estado e os gaúchos querem mais da governadora que até agora só acumula derrotas em um governo bufão.





Technorati Tags: , ,



powered by performancing firefox

Um comentário:

Cristóvão Feil disse...

Comentário preciso. Irreparável!