quinta-feira, julho 26, 2007

Concordo plenamente

Em fevereiro de 2006 o cinesta Walter Salles escreveu algo muito verdadeiro sobre nossa oligarquia: Um economista do MIT, Lester Thurow, sustenta a tese de que "o que falta na América Latina é elite. O que existe é oligarquia. As oligarquias desfrutam ou herdam o poder, mas não entendem as responsabilidades públicas inerentes a ele". Ou seja: querem os privilégios, mas não os ônus. Querem a gravata da Gucci, mas não os impostos de importação, que se convertem em saúde, educação etc. Depois, reclamam da falta de segurança, da inoperância dos governos, apadrinham uma creche para apaziguar a consciência e, ato final, compram um helicóptero para sobrevoar os nossos Haitis. [...] Para finalizar: muitas vezes me perguntam por que o cinema brasileiro fala tão pouco de suas elites. A resposta é simples: porque não é fácil falar de classes dominantes tão caricatas. Pena que Buñuel não esteja mais entre nós. Nem Tomas Gutierrez Alea, cujo olhar cáustico também teria dado conta do recado. Sobra Lars von Trier, que fez um filme sobre um bando de pessoas que fazem de tudo para chamar a atenção. Chama-se "Os Idiotas". (Animot > Folha)Gosto desse trecho. Dá alguma idéia do que é nossa oligarquia: desejo de bônus sem ônus, doação de migalhas após lograr os outros na partilha desigual das vantagens sociais, comportamentos tolos para chamar a atenção. Em uma palavra, idiotice.
Animot

Blogged with Flock

2 comentários:

Deposito do Maia disse...

Também concordo,mas o Brasil está se modificando e a elite também. Elite vai sempre existir. Em qualquer país do mundo existe elite econômica, política etc. A luta não é contra a elite, mas pela inclusão social dos excluídos que um dia podem se tornar elite.

Rafael disse...

Só tenho um comentário a dizer, nosso impostos não convertem em educação, ou sáude ou segurança é só olha a sua volta, ela vai direto para pagar o custeio do Estado principalmete a folha dos funcionários, que são incompetentes, preguiçosos e estão se lixando para quem paga os salários deles por um simples motivo, não podem ser demitidos, é a maldita estabilidade do funcionário público que logo, logo vai acabar.