quarta-feira, novembro 07, 2007

Não é pouca coisa!


DETRAN saiu da área da segurança e passou para a administração, porque?

As prisões realizadas ontem pela manhã pela Polícia Federal trazem alguns símbolos e repercutem de forma estranha na mídia. Os jornais diferem no número de presos que vão de 12 a 15 suspeitos e poucos indicam que se trata de prisão preventiva, apenas para averiguações e que podem ser estendidas para prisão temporária ainda.
Mas destaca-se um argumento interessante levantado por Diego Casagrande, que diria, um dos presos é o empresário Lair Ferst. Ele poderia ser apresentado aos cidadãos gaúchos como o coordenador da campanha eleitoral de Yeda Crussius, o cara que de dentro do PSDB. Diego tentou falar com o palácio no sentido de ter a opinião da governadora sobre isto, Paulo Fona retornou dizendo que a governadora não se manifestará... Porquê?
Na realidade a governadora quer aprovar o seu pacote de aumento de impostos na Assembléia até sexta-feira, o Partido Progressista (PP) é fundamental para isto. O envolvimento do PP até a raiz no escândalo do DETRAN pode ser balisador para a votação. Se a governadora incriminar ou deixar de defender os cúmplices a votação pode ser contrária aos interesses de Yeda. Por isto ela não se manifestará e procurará gerar fatos que a afastem do episódio e dos membros do governo. Foi um bom negócio ser coordenador da campanha vencedora de Yeda, ganhou contratos que, segundo a imprensa gaúcha, encheu os bolsos privados de alguns amigos mais próximos.
Na mídia a coisa teve proporções diferentes das dada aos escândalos nacionais recentes. A putaria promovida por Zé Dirceu e sua turma foi debatida em público de forma incriminatória e explícita. Agora no episódio do DETRAN estão cheios de dedos, tratam a todos como suspeitos e as perguntas mais cabeludas estão esquecidas. Dois pesos e duas medidas, como sempre.
Dizem que um assessor da Assembléia estaria entre os presos, trabalharia no 11. andar da casa. Nada disto foi veiculado, o Agente 65 vai investigar e logo apresentará mais informações.


Powered by ScribeFire.

2 comentários:

Wander disse...

Mas Agente, esse povo que queria por queria privatizar tudo, tava pensando nisso...esquartejar o estado e dividir os despojos...

Hélio disse...

Agente,

Um passarinho vermelho de ilibada reputação me contou hoje, por volta das 14h, que alguém de origem político-ideológica com cargo mais elevado do que Flávio Vaz Neto dentro de um clube de futebol da cidade poderá ser investigado quase imediatamente.

Lá na beira do lago, há políticos partidários, desembargadores, procuradores e juízes pondo pressão para que a Polícia Federal destrinche mais um pedaço desse novelo dentro da Azenha.

Não nego que é muito bom para a democracia, para a Justiça e para as finanças do Estado. Todavia, a motivação desses atores que põem pressão para a investigação, suspeita, acusação e demais trâmites legais visa principalmente humilhar não a(s) figura(s) sob suspeita mas, sobretudo, colaborar com o fechamento da instituição centenária da Azenha.

A motivação deles, infelizmente, não é social nem cidadã: é politiqueira e envolve uma rivalidade burra.

Veremos...

[]'s,
Hélio