sexta-feira, fevereiro 16, 2007

Desculpem divergir


Todo carnaval a mesma coisa, a imprensa fica num frenesi maluco com boletins a cada cinco minutos sobre a freeway, rodoviária e estatísticas do trânsito. Fora isto, ainda vem aquelas matérias sobre as arquibancadas e oficinas de escolas de samba anunciando como será o desfile na avenida, as musas, rainhas e outras semi-nuas. Cobertura especial da Bahia como intragável Carlinhos Brown sobre os blocos e os investimentos que foram realizados na "cultura" que irão maravilhar a todos seguido logo após da previsão do tempo dizendo que choverá durante todo o carnaval no acarajé baiano. Tanta mídia chega a deixar a gente nervoso.

Eu odeio carnaval, mas odeio mais ainda a unanimidade em torno dele. é o que chamo de alegria pré-datada. Todos devem estar alegres e programar o carnaval mais animado da sua vida, isto inclui muita cerveja cara, comida ruim, bandas medíocres, ambiente abafado, bêbado cheio de assunto e outros complementos.

Por favor, permitam-me discordar e ficar com a maioria. Nós simplesmente não gostamos do ziriguidum e de tudo que vem junto, até achamos interessante o desfile do rio na TV sem os comentaristas e o mais importante de tudo: para nós, a maioria, trata-se de um bom feriado, oportunidade para viajar ou NÃO.

Se pararmos e fizermos as contas milhares curtem o carnaval midiático, mas milhões tem outros planos. Não tenho idéia da importância de ter um "abadá" amarelo, muito menos daria tanto dinheiro para uma roupa tão ridícula que seria impossível usa-la em outra data.

Lembro quando era adolecente que no carnaval podia-se tudo que era proibido no resto do ano, era uma novela azarar ou ser azarado por uma garota, os palnos eram mirabolantes e tal, no carnaval era liberado para chegar às oito da manhã e ninguém perguntava onde tínhamos passado a noite... Sempre achei isto muito hipócrita e bobo, ora porque não poderia ser assim no resto do ano?

Aos que vão para o carnaval e já compraram seus abadás, ingressos ou arquibancadas, sucesso e que retornem inteiros. Divirtam-se e sejam felizes, mas por favor... nao torrem as almôndegas de quem não foi e não gosta!

PS - aos curiosos, ficarei em casa lendo e me divertindo com a patroa. Provavelmente escutando algo da fase psicodélica do Pink Floyd.

3 comentários:

Jean Scharlau disse...

É verdade, o que é obrigatório e insistente prima por ser chato, mas um sambinha espontâneo e vivo, como aquele que acontece às tardes de domingo aqui no Centro e que eu mostro lá na TV Scharlau tem seu valor.

Quanto ao Pink Floyd, prepara-te, tato tempo faz que passou pela fase psicodélica que logo chegará à fase psicografada.

Stanis Fialho disse...

Do carnaval midiático e do carnaval espetáculo não gosto. Agora um sambinha como falou o Jean, as velhas marchinhas-tenho uma porrada delas em LP's, lembram o que é LP né!- e dos meus defiles de Solteironas eu adoro.
Mas entendo essa sua repulsa, é a mesma que tenho por algo que quase todo mundo gosta: Futebol.
Eu simplesmente não suporto o tal, tanto na tv,radio,telejornal,bate-papo de bar....
Por isso te entendo e respeito
Um abraço momesco!
P.H.U.Y....fui!

pott disse...

Amigo, na verdade o que mais gosto nos desfiles são as meninas semi nuas, inclusive acho o "semi" um estraga prazeres, do resto concordo com vc, tbm gosto da criatividade de alguns carnavalescos com suas fantasias e alegorias, mas no geral sabemos que tudo é feito pra se vender anuncios de bebidas e outras coisas, ha só pra não deixar em branco, fico imaginando porque as meninas não fivam nuas de uma vez, aquele pedacinho de tapa sexo...ora covenhamos é uma hipocrisia.
bom feriado pra vc.