quinta-feira, junho 21, 2007

A Tristeza dos Grandes





Só aos grandes do futebol estão reservadas mobilizações como a vista pela torcida do Grêmio nesta campanha pela Libertadores. O Grêmio é habituado aos milagres e grandes feitos, mas isto não quer dizer que isto aconteça sempre. Acontecem milagres para os que batalham e brigam por ele como o time fez nesta temporada.

Mas nem tudo são loas. Quero fazer alguns destaques que faz algum tempo que tenho confidenciado para amigos que na maioria dos casos discordam de mim. A tal "Alma Castelhana" é um bonito bordão e pode ser útil em muitos momentos, mas nada prescinde o futebol, a qualidade técnica. Um time que conta com jogadores como Sandro Goiano com seu futebol fraco e temperamento irresponsável (a expulsão em Buenos Aires é imperdoável) e faz dele um ídolo, não tem a a marca de campeão.

Lúcio e Patrício são bons jogadores para o Esportivo de Bento Gonçalves, não estão a altura do Grêmio. Lucas com a cabeça na europa e futebol burocrático, cumpria numerário em campo. E Tuta, nosso centro-avante, sofre do pecado original: não marca gols!

Maior milagre que virar o resultado de Buenos Aires, seria ganhar a Libertadores com este elenco limitado. As condições financeiras impediram e impedirão montar um time razoável, resta-nos o brasileirão.

Parabéns à torcida, à direção heróica e aos que acreditaram, a fortuna não nos abraçou nesta decisão pois certamente guarda melhores para o nosso futuro.





Powered by ScribeFire.

2 comentários:

Anônimo disse...

Rapá, tu não vai trocar a data lá embaixo daquele post da batalha de Waterloo? São 192 anos e 92 anos.

Cristovao Feil disse...

Direção heróica - eu escutei bem ou estou ficando pirado, prezado agente. Direção heroica... o Paulo Odone...