segunda-feira, março 17, 2008

PT vai de Rosário na eleição


Agora é fazer campanha!

Ontem o PT de Porto Alegre escolheu Maria do Rosário para a eleição deste ano. Foi uma prévia bonita de ver pela forte mobilização da militância que votou em grande número (quase 5.000 dos mais de 12.000 filiados). Foi um show de democracia onde os filiados votam diretamente para a escolha. Nenhum outro partido faz isto por aqui.
Maria do Rosário ganhou pois tem mostrado nas pesquisas eleitorais mais viabilidade de vitória do que Miguel Rossetto, os petistas estão receosos desta campanha e uma nova derrota seria muito negativo para o partido. Maria do Rosário representa sangue novo no PT, uma certa novidade que cresceu fora dos caciques e fez um trabalho de base mais robusto.
Rossetto poderia ser entendido como mais preparado, mas Rosário não fica atrás. O apelo feminino e a força de vontade de Rosário será seu diferencial e pode empolgar a população para a retomada da prefeitura.
Parabéns ao PT pela aula e que esteja preparado para varrer as forças do mal da administração da capital dos gaúchos, pois logo mais temos de fazer o serviço na tia Yeda.

PS- Aliás, li uma especulação de que Dilma Rousseff é a candidata de Lula para o governo do estado....Seria o novo, de novo?


Powered by ScribeFire.

7 comentários:

Guillermo disse...

Interessante a notícia da Dilma. Porém, isso significaria apoiarmos alguém de fora (ou o Lula teria algum nome na manga para 2010???).

Começou oficialmente a campanha pela Maria do Rosário. Precisaremos de muita sorte, além do tradicional suor da militância.

Abraço e DÁ-LHE GRÊMIO!!!

claudia cardoso disse...

Cacique? Que é isso? Esse é a conversa que se ouve na mídia hegemônica. Seremos pautados por ela aqui também? Houve filiação em massa, empurrou-se as prévias para março em função disso e ela só obteve 56 votos a mais. Acho muito estranho esse papo de "cacique" e "base". De qualquer maneira, é hora de trabalhar, pra ver se essa candidatura pega, aí sim, na massa, na periferia, na base. terá que desconstruir o raivoso sentimento antipetista formado pela RBS que, por coincidência, também fala em "caciquismos" dentro do PT. Mas eu quero acreditar que seja só uma coincidência.

eugênio disse...

Vitória a qualquer preço não vale. Esse papo de pesquisa me cheira muito mal. Ganhar por ganhar não nos adianta nada. Prefiro ver a direita fazendo as merdas, do que o nosso lado.

heliopaz disse...

Eu vejo a coisa pelo viés comunicacional. Não posso afirmar que o bicho é tão feio quanto parece, nem tampouco que o esvaziamento do debate político é líquido e certo.

Em princípio, a ESFERA, o AMBIENTE de debate é que está sendo transferido para outra dimensão. A forma de discutir política também é diferente.

Não há como negar de antemão a possibilidade de que o esvaziamento de uma forma de debate e de um determinado espaço público cujas características são cartesianamente demarcadas não signifique a gradual ocupação de um espaço mais fluido e menos perene que, nem por isso, seja vazio de significado.

Situações de desencaixe e de reencaixe caminham em paralelo. Nunca há a total transformação de uma coisa em outra: com honestidade e consciência, observa-se que os padrões de confiança e de credibilidade da mídia corporativa estão sendo substituídos por uma nova forma de obtenção, troca e manipulação da informação através da blogosfera.

Tanto quem diz que vai anular o voto como quem diz que vai votar em Luciana Genro como quem aponta personalismo e stalinismo ou acredita piamente em um lado puramente "bom" de Maria do Rosário passam por uma crise de desencaixe.

É melhor deixar rolar pra ver no que vai dar...

[]'s,
Hélio

Anônimo disse...

"forte mobilização da militância que votou em grande número"????? forte mobilização? votação em grande número? Fala sério! Em que planeta vc vive?
Eu, hein?
Roberto

Anônimo disse...

Até que enfim um comentário ponderado sobre o resultado da prévia. Chega de ranço!

César

sisqueci disse...

Esse papo de caciques foi mal hein...

Para quem não é filiado, meu caso, só resta ver qual das candidatas "de esquerda" poderá ser a menos subserviente.