terça-feira, outubro 16, 2007

Canalhice da Veja


Há dez anos herói, hoje bandido?


A República Vermelha chamou a atenção para um fato importante. A revista Veja é tão canalha que tropeça na sua própria canalhice. Na semana passada a revista semanal estampou uma foto do revolucionário Che Guevara e mancheteou: ''Che: há quarenta anos morria o homem e nascia a farsa''. A revista buscou e criou sua própria versão dos fatos da vida e morte de Che inventando e omitindo informação inclusive da própria CIA que ordenou seu fuzilamento.
Até aí tudo certo. A revista pode falar o que quiser, os otários que continuem lendo. O problema é que Che já esteve na capa da revista antes, há exatos 10 anos quando completava 30 anos da morte do argentino em terras bolivianas. Naquela época o enfoque era outro.
Em 1997, Veja publicava:
''Che empolga por ter sido um rebelde com causa, aventureiro e vagabundo, de ar atormentado e ardor revolucionário, mas sobretudo um rebelde capaz de abrir mão de tudo, especialmente do poder''. E mais: ''O mito de Guevara (...) ampara-se na simplicidade, (....) e na entrega de sua vida à defesa da solidariedade e justiça social''
Em 2007:
''Che tem seu lugar assegurado na mesma lata de lixo onde a história arremessou há tempos outros teóricos do comunismo''; (...) ''sua maníaca necessidade de matar pessoas''.
Mudou a revista Veja ou mudou o defunto?


Technorati Tags: , ,

Powered by ScribeFire.

Um comentário:

Dnoway disse...

Há tempos deixei de ler Veja. Acho incrível a capacidade do conselho dessa revista de publicar estupidamente as matérias.