terça-feira, maio 25, 2010

A impostura de um canalha


Ou a paz ou a velha conhecida guerra. De que lado você está?

G1 - Netanyahu chama acordo nuclear promovido por Brasil de 'impostura' - notícias em Mundo
Em discurso no Knesset, Netanyahu disse que "o acordo é uma impostura que não impedirá o Irã de obter urânio enriquecido". "O objetivo desta impostura é evitar que o Irã seja submetido a sanções internacionais", afirmou o líder do Estado judeu.

Netanyahu cumpre bem o papel da vilania. Massacra e persegue os palestinos, invade os vizinhos e é o foco constante de instabilidade na região. O governo de Israel, não confunda com o povo judeu, são ases na política internacional com manobras diversionistas, meias palavras e intrigas gerais. Caracterizar um acordo que pacifica as relações internacionais como uma impostura é apenas mais uma canalhice do estado judeu contra a humanidade. Preferiria Netanyahu que o Brasil apoiasse a guerra? Preferiria que o Brasil fomentasse outro Iraque, outro Paquistão? Mais morte e sangue? Já não basta?
Netanyahu fala em urânio enriquecido ao Irã, como se isto bastasse para produzir armas atômicas. Não é verdade! A Turquia receberá o minério iraniano e o enriquecerá apenas à 20%, suficiente para operar as usinas geradoras de eletricidade e uso médico, é isto que diz o acordo. Para produzir armas nucleares é preciso muito mais que isto, muito dinheiro e muita tecnologia. Netanyahu usa meias verdades para contar grandes mentiras, artifício comum entre canalhas.
Impostura é Israel NÃO ter assinado o tratado de não proliferação de armas atômicas e segundo David Albright, Frans Berkhout e William Walker, autores do livro Plutonium and Highly Enriched Uranium 1996: World Inventories, Capabilities and Policies, em fins de 1995 Israel possuía 460 kg de plutônio altamente enriquecido. Esses estoques estão fora do controle internacional e admite-se que sejam parte de programa nuclear de Israel. Para quem não sabe, o Irã assinou o tratado, assim como o Brasil e outros 185 países do mundo. Israel se acha especial e acima dos demais e não se sujeita à inspeção internacional.
Impostura é Israel ter oferecido armas atômicas ao regime do aparteheid da África do Sul como publicado nos jornais recentemente. Um regime racista de segregação racial que envergonhou a história recente da humanidade. O que levou Israel a oferecer armas nucleares à Africa do Sul? O que os dois regimes têm em comum?
Brasil e Turquia, no caso do acordo com o Irã, fizeram mais do que o mundo esperava deles. Buscaram o entendimento, mesmo quando isto parece impossível, buscaram a alternativa pacífica, sem morte e destruição. Como isto pode ser errado? Mesmo que não dê certo? Como pode um gesto destes ser desprezado? Só os cegos pelo ódio ficam ao lado da intolerância e da violência.



Powered by ScribeFire.

Um comentário:

Dialógico disse...

O Agente65 sempre contundente em suas manifestações! Muito boa análise!!!!!