terça-feira, maio 13, 2008

Porque eles estão enfurecidos


Redutos do conservadorismo estão diminuindo

Nasci há 42 anos e tive uma infância contemporânea da ditadura. Lembro do meu pai mostrando o jornal com matérias censuradas, todas em preto e logo em seguida com receitas de bolo. Ele me mostrava explicando que o regime não permitia e os jornalistas faziam aquilo para que as pessoas soubessem a dureza daqueles tempos.
Assinávamos o Pasquim e o Coojornal, meu pai dizia que era só ali que se conseguia ler um pouco mais sobre a verdade do que acontecia no país. Estas atitudes do meu pai me formaram o caráter libertário e de esquerda, a leitura e logo mais tarde as passeatas estudantis no centro de Porto Alegre.
Com pouco mais de 13 anos estava nas passeatas pela meia entrada nos cinemas que foram duramente reprimidas pela Brigada Militar de forma completamente desproporcionada. Atiravamos bolas de gude na cavalaria e os tombos eram memoráveis. Eu não apanhava por ser muito guri, mas via os mais corpulentos serem massacrados à cacetete.
Com o arrefecimento do regime militar e a democratização, fui para o PT e meu pai continuou onde estava antes de 64, na direita. Mas sempre defendendo a democracia e atacando os regimes de exceção. O coroa votou em todos os canalhas que passaram pela presidência desde lá, no Collor, no FHC, e jamais votou no Lula por ser do PT e comunista, dizia que votaria em qualquer um menos no PT. Atitude muito comum entre as pessoas de mais de 70 anos.
Esta semana caí pra trás. No almoço do dia das mães , meu pai declarou que está gostando de Lula e que só tinha visto um momento assim no país durante o milagre econômico, mas que ao contrário daquele momento, agora era verdadeiro.
Ele agora votará no candidato de Lula. Se o voto do meu pai foi revertido, imagino que qualquer um que tenha valores democráticos e que não tenha se locupletado com o regime militar, também o será.
É contra isto que o PSDB e o DEMO estão lutando, contra esta onda que assola o Brasil. Eles sabem o que nós só agora estamos vendo, o novo milagre econômico e as vitórias políticas do governo Lula para o país. A oposição está perdida, sem política alternativa, sem discurso, restam-lhes a apelação e o descrédito.

6 comentários:

heliopaz disse...

Agente,

Meu pai pensava praticamente da mesma forma. O que o contradizia era que votou no PTB de Getúlio, Brizola e Jango e não no PSD ou na UDN, e sempre votou no MDB, nunca na ARENA.

O Pai só votou em Lula contra Collor a contragosto, pois considerava que havia sobrado o que de pior poderia ter sobrado no 2º turno de 1989.

Só que ele não conseguia enxergar a direita em FHC e Britto. E caiu na cantilena de que petista é radical, ignorante, etc.

O Pai passou 10 anos isolado numa torre do Edifício Ely (no centro, onde hoje fica o Tumelero ao lado do túnel da Conceição) porque o chamavam de "comunista" na Viação Férrea.

Mesmo assim, não foi o suficiente. Tanto é que o Pai era tradicionalista não-praticante e maçon.

[]'s,
Hélio

heliopaz disse...

Continuando: o Pai era getulista e admirava o sistema militar, mas não o regime nem os militares no governo. E, obviamente, foi contaminado pela propaganda do autoritarismo e do anti-comunismo.

Embora adorasse ler biografias e livros de pseudo-sociologia, dificilmente lia algo vinculado à esquerda e lia muta coisa que não achava que fosse de direita, mas era.

Finalmente, tendia a ver com simplismo as soluções e as visões de política e da sociedade, pois tinha a formação nomotética, objetiva e dicotômica de um engenheiro.

Meus irmãos mais velhos foram criados de uma maneira alienada por puro medo e não souberam dessas histórias escabrosas da ditadura porque o Pai trabalhava. Eu peguei o final da ditadura, estudei em escola estadual, tive professores de história e geografia decentes e fui para a UFRGS, enquanto meus irmãos estudaram em escolas particulares e em faculdades que levam o cara a ganhar um diploma, mas sem refletir a respeito do mundo em que vive.

Infelizmente, meus sobrinhos são todos filhos de alienados e de reaças. Excelentes pessoas, porém, com uma visão de mundo absurdamente deturpada.

Tu também és engenheiro. Mas és uma brilhante exceção! ;)

Eu creio que o Pai leria blogs (e até escreveria um, se fosse vivo). Acho até que ele hoje votaria no sucessor de Lula. Mas meus irmãos, cunhados e sobrinhos não têm volta.

[]'s,
Hélio

heliopaz disse...

Continuando: o Pai era getulista e admirava o sistema militar, mas não o regime nem os militares no governo. E, obviamente, foi contaminado pela propaganda do autoritarismo e do anti-comunismo.

Embora adorasse ler biografias e livros de pseudo-sociologia, dificilmente lia algo vinculado à esquerda e lia muta coisa que não achava que fosse de direita, mas era.

Finalmente, tendia a ver com simplismo as soluções e as visões de política e da sociedade, pois tinha a formação nomotética, objetiva e dicotômica de um engenheiro.

Meus irmãos mais velhos foram criados de uma maneira alienada por puro medo e não souberam dessas histórias escabrosas da ditadura porque o Pai trabalhava. Eu peguei o final da ditadura, estudei em escola estadual, tive professores de história e geografia decentes e fui para a UFRGS, enquanto meus irmãos estudaram em escolas particulares e em faculdades que levam o cara a ganhar um diploma, mas sem refletir a respeito do mundo em que vive.

Infelizmente, meus sobrinhos são todos filhos de alienados e de reaças. Excelentes pessoas, porém, com uma visão de mundo absurdamente deturpada.

Tu também és engenheiro. Mas és uma brilhante exceção! ;)

Eu creio que o Pai leria blogs (e até escreveria um, se fosse vivo). Acho até que ele hoje votaria no sucessor de Lula. Mas meus irmãos, cunhados e sobrinhos não têm volta.

[]'s,
Hélio

claudia cardoso disse...

Bonito teu depoimento, Agente65. Naqueles recentes tempos de ditadura militar, ou se era a favor, ou contra. Tal situação juntava a direita e a esquerda. Meus pais são brizolistas, mas a mãe se tornou uma lulista apaixonada e não admite que falem mal do Lula em casa... hehehehehe... Já o pai, apesar de eleitor do PT desde o segundo turno de 98, pq não agüenta mais as lideranças pedetistas gaudérias, carrega aquela enorme mágoa do PT por ter "atrapalhado" a candidatura do Brizola em 89.
Aliás, cresci numa família "oposicionista", todos getulistas e brizolistas e, depois, MDB. Duas primas do meu avô materno, que moravam conosco, ARENA. Lembro que o pessoal implicava com as duas numa boa. Além disso, foram incontáveis as vezes que minha mãe, depois de longas conversas entre os adultos (familiares e amigos), dirigia-se a nós e nos alertava: "tudo o que vcs ouviram aqui, não pode ser repetido na rua, senão o pai vai preso".
Entendíamos o recado na hora, apesar de nem prestarmos atenção a essas conversas.

Jean Scharlau disse...

Eu fazia campanha para meu pai votar nulo.

Ele proclamava o voto em branco, em protesto contra o fogo e a frigideira, arena e pmdb, e depois as porcarias (panelas) que sucederam. Votando em branco, naquelas cédulas, poderia ter seu voto roubado, pela direita obviamente, então a minha campanha pelo voto nulo. Lula e PT não, mas ele respeitava o Olívio e acho que pode até ter votado nele.

Anônimo disse...

Já o meu pai, que se havia alistado na legalidade, foi totalmente cooptado pela propaganda anti-comunista e votou no Collor e FHC, enquanto votou (está com 87 anos e não está mais obrigado a votar). Na época do segundo turno Collor/Lula, declarou gravemente que se mudaria para o Paraguai (nunca soube o por que da escolha)se Lula fosse eleito. Minha mãe, eu e minha irmã, todos votando no Lula e ele lá, louco de raiva. Pois agora, o homem que ia morar fora do Brasil, acompanhando o atrasadíssimo empresariado nacional, embora não tivesse nem casa própria, declara que o Lula foi e está sendo o melhor presidente que este país já teve desde...sempre! Pelo menos desde 1921, quando ele nasceu, diz que nunca viu alguém fazer tanto pelo País (gente! Ele destituiu o Getúlio!!!!). Esse Lula me deixa de queixo caído! Nunca imaginei que ganhasse uma declaração dessas do meu pai!
Néia