terça-feira, outubro 28, 2008

Ressaca


O poeta sabe tudo de marketing

Hoje já é terça-feira e ainda nada postei sobre as eleições de segundo turno. Pura ressaca. Os resultados não foram ruins, deixaram de ser melhores. Analisando friamente, aqui no estado quem mais perdeu foi a desgovernada Yeda, seu partido encolheu a sua insignificância já tradicional por aqui e o PP e PMDB se esbaldaram por fazer parte da base de Lula, vencendo vários municípios, na maioria médios e pequenos.
O PT fez bonito no vale do Sinos, ganhou prefeituras grandes que têm orçamento e são viáveis. Ali, o partido poderá construir uma base política sólida e de fôlego para mais de uma década. Cidades tradicionalmente mal administradas optaram pelo PT que é calejado em arredondar a máquina pública e inverter prioridades na direção dos mais humildes, inclusão e participação social.
Canoas foi emblemático. Para se ter uma idéia, o candidato do outro lado fez panfletos dizendo que o atual prefeito do PSDB apoiava o candidato petista, com o intuito de desgastá-lo! Ridículo. O tucano amargou o dissabor de ter vários casos de corrupção identificados em sua gestão e o principal acusado permanece no secretariado até o momento! Ali em Canoas a eleição caiu no colo do PT.
Pelotas perdemos novamente. Estávamos com larga vantagem no primeiro semestre e algum gênio da lâmpada idealizou a estratégia eleitoral mais idiota do século: não fazer campanha até que o adversário se mobilizasse. Acharam que se nada fizessem, ganhariam a eleição! Que barbaridade! O PP, vencedor das eleições, vai fazer uma estátua em praça pública para o imbecil autor desta idéia pigméia. Ou seja, o PT perdeu por ser burro.
No computo geral houve forte tendência à reeleição. No meu entendimento isto se deve em grande parte a dois fatores: a forte fiscalização pelas estruturas de estado ns últimos tempos (Ministério Público, tribunais de contas, Polícia Federal, judiciário, etc) e os investimentos em melhorias sociais patrocinadas pelo governo federal.
As investigações e publicidade dos escândalos públicos tem forçado os administradores e seus partidos a escolher melhor seus representantes. Onde o PP e o PMDB ganharam, os candidatos são figuras públicas ilibadas, pessoas que não possuem máculas em seu passado, são razoáveis do ponto de vista ético. Isto é um profundo anvanço.
Quem viaja pelo interior do estado percebe claramente que em cada cidade, pequena ou grande, há investimentos com verbas federais. Ou PAC ou via Ministério das Cidades, ou FUNASA, ou seja lá o que for. Quem se mexeu, conquistou verbas para a sua cidade e fez algo mais do que administrar a folha. O governo do estado navegou forte nesta onda também, a CORSAN, o DAER e outras só fizeram obras quando havia verba federal. O governo federal garantiu os investimentos no estado, isto é fato.
Administrações mais transparentes e fiscalizadas com investimentos, só poderia ter como conseqüência a recondução administrativa, como regra geral. Mas isto não se lê na grande mídia. Estas duas diretivas, transparência e investimentos, tiveram de vir juntas para garantir as vitórias. Sapucaia e Canoas tiveram pesados investimentos e melhorias, mas a roubalheira traiu os espertos. Falo isto de modo geral, claro que existem exceções. Numa visão geral, pode-se analisar desta forma.
Em Porto Alegre a vitória de Fumaça pode ser atribuída a sua brihante estratégia de não-prefeito. No ano passado pesquisas revelavam que ninguém conhecia Fumaça, era uma administração sem cara, sem face, era uma geléia. No último ano aparece o bonito com uma fala mansa e fazendo uma campanha espetacular do ponto de vista de marketing, acertou em cheio as suas falas, se fez de vítima e coitadinho. O PT ajudou bastante. Nem Maria do Rosário, nem Manuela lembraram da administração de Fumaça que passou o primeiro turno praticamente de lombo liso. Nada se disse da nossa herança de obras e realizações e nem se usou na TV os nosso prefeitos vitoriosos. Enfim, se Fumaça acertou no marketing, nos erramos completamente.
Que coisa alucinante aquela história de Maria pra lá e Maria pra cá! Quem é Maria?!! O nome dela é Maria do Rosário! E o PT? E os nossos governos?
Um amigo recebeu um e-mail de uma vereadora do PT agradecendo o apoio e tal. Ele nem votou na vereadora, mas ficou indignado. Resolveu sentar e escrever uma resposta elencando tudo que foi feito em 12 anos de gestão petista em Porto Alegre e que era sonegado na propaganda. O alucinado listou 300 obras de fundamento! Dias depois ele viu um panfleto deixado no parabrisa do seu carro contendo exatamente a listagem que ele fez, na mesma ordem! Traduzindo, se não tivessem recebido o e-mail não saberiam! Isto é ridículo. O PT foi derrotado em Porto Alegre e o PT tem de aprender a lição. Olha, 2010 esta'aí!

, , , , , ,

Powered by ScribeFire.

Um comentário:

Luís disse...

Isto foi a estratégia da campanha, baseada numa visão de partido e da conjuntura. Sobrou uma campanha despolitizada e anti-empolgante até o fim, mesmo que a Rosário tenha melhorado no segundo-turno, lembrando a parlamentar aguerrida que sempre foi.

Pelo menos depois de 2002, eu esperava que o PT gaúcho fosse apostar sempre na vitória política, independentemente da vitória eleitoral... me enganei de novo.